10 anos da Residência Médica em Neurologia no Risoleta

No momento você está vendo 10 anos da Residência Médica em Neurologia no Risoleta

A Residência em Neurologia teve início no Hospital em março de 2014. Mais de 20 médicos já se especializaram nessa área em nossa Instituição, com um alto nível de conhecimento. Esse programa surgiu do desejo de tornar o Hospital um centro de formação profissional. À época, a equipe de médicos especialistas tinha o dimensionamento adequado para atender as demandas da população, mas havia um grande potencial em formar mais profissionais em Neurologia para entregar para a sociedade especialistas bem capacitados, missão desse e de todos os programas de residência do Risoleta.

Diferenciais da nossa residência

Segundo o Dr. Marco Túlio Azevedo Tanure, Coordenador da Residência em Neurologia, por sermos um Hospital de urgência/emergência porta aberta há um volume elevado de pacientes e, com isso, o campo para aprendizado é rico.

Marco_Tanure.enc

“Pelo perfil populacional que o Risoleta atende há uma grande diversidade de afecções em nosso serviço. Atendemos casos de AVC, meningite, crises convulsivas e também doenças menos comuns, como neurotuberculose, por exemplo. E com essa riqueza de casos o residente aprende muito e pode tirar dúvidas com o preceptor”, afirma Marco.

Essa especialidade médica atua em todo o Hospital e os residentes acabam passando pelos diversos setores. E como o Risoleta possui um serviço estruturado de AVC com 15 anos de existência, a Residência de Neurologia se favorece de um know how institucional que é um grande diferencial.

Fidel Meira

“A qualidade de quem já passou pela residência e de quem está hoje frequentando o programa  é impressionante. Os participantes sempre nos inspiraram confiança e entregamos gente boa, bem especializada, para a sociedade”, comenta Dr. Fidel Meira, que coordenou a residência entre 2015 e o início deste ano.

Fidel explica que a Residência em Neurologia teve início em 2014 devido à vocação educacional do Risoleta associada à vontade de promover formação pela equipe de Neurologia e aprovação de bolsas do Pró-Residência para financiamento das vagas do programa. Para ele, o maior desafio foi em relação aos estágios externos. Foram feitas parcerias para uma maior vivência e capacitação dos residentes e, hoje, há uma melhor estruturação de todo o programa, com processos bem definidos internamente e uma busca contínua pelo aprimoramento da qualidade de formação.

“A Neurologia é um campo de conhecimento amplo, com várias subespecialidades, e dificilmente você verá casos de todas as doenças neurológicas em uma só instituição. Por isso, temos estágios externos em que o residente atende pacientes de outras unidades parceiras, o que amplia o conhecimento do participante da residência, favorece a assistência ao usuário e ainda traz faturamento para o Risoleta”, diz Marco.

Atualmente, há estágios com a Santa Casa BH, o Hospital das Clínicas, o Hospital Infantil João Paulo II (antigo CGP) e o Hospital Eduardo de Menezes. E, em junho deste ano, será iniciada uma parceria com o CEM Venda Nova, com ambulatórios de cefaleia, distúrbios cognitivos e neurologia geral, além de distúrbios do movimento. “Com isso, além de uma formação acadêmica mais completa, há um retorno para a nossa população que passa a contar com serviços de referência e ampliação na capacidade absortiva”, ressalta Marco.

Com a palavra, ex e atual residentes

Rafael_Mattos_Tavares

“Desde o começo, a Residência Médica de Neurologia no Hospital Risoleta Neves preza pelo conhecimento técnico e científico, aliado a uma boa prática profissional, sempre em um ambiente acolhedor de discussões de casos, muitas vezes desafiadores, com foco no melhor atendimento ao paciente. Então, me sinto muito orgulhoso por ter feito parte dessa história e de continuar contribuindo para a formação dos novos residentes.”

Rafael Mattos Tavares, neurologista no Risoleta e Coordenador do Ambulatório de Neurologia do Comportamento da Santa Casa BH.

foto_Julia_Holiday

“Meu sonho, desde quando estava na faculdade, era trabalhar em um hospital 100% SUS e fui surpreendida ao conhecer o funcionamento do Risoleta, apesar das adversidades e da falta de recursos. Do início da residência até hoje a Neurologia continua me encantando. Somos uma equipe multiprofissional muito unida, em um Hospital porta aberta para casos neurológicos que é referência para uma grande área de BH e do entorno. Além disso, possuímos uma Unidade especializada em casos de AVC, que é uma das principais doenças e causa de morte no mundo, que me permite conhecer todas as peculiaridades, manejo e prevenção dessa doença. Todo dia aprendo com colegas, chefes, outras equipes e principalmente com os pacientes. É uma troca fundamental! A residência do Risoleta me fez crescer como médica e, principalmente, como pessoa. Sou muito grata por esses anos no Serviço.”

Julia B. Holliday – Residente no Risoleta (R3)

Deixe um comentário