O Risoleta é certificado pelos Ministérios da Educação e da Saúde como Hospital de Ensino.

A Instituição oferece condições de ensino-aprendizagem para cursos de graduação e pós-graduação da área de saúde e afins nos níveis de estágios curriculares e extracurriculares, bem como atividades práticas de cursos de especialização, residências médicas e multiprofissionais. Ainda disponibiliza, em parceria com escolas de ensino técnico, estágios visando o desenvolvimento teórico e prático.

O corpo clínico do Risoleta assume atividades de preceptoria, em parceria com tutores docentes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), articulando a experiência institucional a um processo de ensino-aprendizagem comprometido com práticas inovadoras de cuidado em saúde. Há estímulos para construção de raciocínios clínicos ampliados que considerem a complexidade dos processos de viver e adoecer, com ênfase no trabalho multiprofissional.

Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão (NEPE)

Em 2006, foi criado o Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão (NEPE), com a missão de gerar e disseminar o conhecimento, qualificar novos profissionais e promover um ambiente que favoreça o desenvolvimento de projetos de pesquisas e de extensão, assim como coordenar as atividades de formação, estágios e internatos na área de saúde. 

O NEPE conta com um colegiado para as decisões relativas à política de ensino, pesquisa e extensão, além da Comissão de Residência Médica (COREME), da Comissão de Residência Multiprofissional (COREMULTI) e das Comissões para avaliação de projetos e de análise para liberação de capacitação.

Entre as atividades do NEPE estão:

– registros de entrada e saída de estudantes, residentes e pesquisadores;

– monitoramento de visitas técnicas de estudantes, residentes e pesquisadores;

– monitoramento das vagas de estágios, internatos e residências;

– gestão da documentação que resguarda as atividades de ensino, pesquisa e extensão;

– geração de declarações e certificados referentes às atividades de ensino;

– avaliação e monitoramento de projetos de pesquisa e extensão;

– articulação das demandas e ofertas entre a UFMG e o Risoleta;

– promoção de eventos científicos.

Só em 2019, passaram pelo Risoleta 315 residentes sendo que destes, 279 vieram para realização de estágio externo. Quanto aos acadêmicos, foram cadastrados 714 estudantes.

Nesse mesmo ano foram avaliados 43 projetos de pesquisa, sendo que 22 deles propõem pesquisar temáticas relativas à pandemia da Covid-19.

A coerência entre o modelo assistencial, as metodologias de ensino-aprendizagem e um investimento em pesquisa e projetos de extensão legitimam, cada vez mais, o Risoleta como produtor de conhecimentos relevantes para o cuidado e a formação em saúde

Confira o depoimento de quem se formou com a gente: