Junho Verde: mês de enfrentamento à desnutrição hospitalar

No momento você está vendo Junho Verde: mês de enfrentamento à desnutrição hospitalar

A desnutrição é uma condição frequente nos adultos hospitalizados. A prevalência varia de 20% a 50% e, nos países latino-americanos, a desnutrição pode estar presente em até 60% dos casos no momento da admissão.

Vários estudos mostram um aumento na prevalência da desnutrição com a ampliação da duração da hospitalização. Ainda, pacientes desnutridos apresentam tempo de internação até 34% mais longo e chegam a custar até 38% mais para as unidades de saúde quando comparados aos usuários bem nutridos.

Outros impactos da desnutrição:

  • aumento do risco de lesão por pressão;
  • piora da resposta imunológica;
  • atraso no processo de cicatrização;
  • maior risco de complicações cirúrgicas e infecciosas;
  • maior risco de morte durante a internação.

Junho Verde

Com o propósito de conscientizar e estimular as equipes assistenciais a adotarem estratégias para o enfrentamento da desnutrição hospitalar, a Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral (BRASPEN) criou a campanha “Junho Verde”, definindo o dia 6 de junho como “o dia D” para lançamento da campanha.

Neste ano, o tema é “Cuidados que nutrem, direitos que salvam”, com o objetivo de unir forças em uma iniciativa global para reduzir a desnutrição hospitalar e oferecer o melhor cuidado para todos.

A identificação precoce e o manejo adequado da desnutrição são fatores decisivos e podemos mudar os resultados com as nossas intervenções. O tempo de jejum antes do início do suporte nutricional é um fator prognóstico inversamente relacionado com o desfecho dos pacientes internados.

EMTN em nosso Hospital

Desde 2019, a Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional do Risoleta monitora os indicadores de qualidade em terapia nutricional parenteral. O tempo médio de jejum antes do início da nutrição parenteral era de 7,6 dias em 2019 e conseguimos reduzir para 6,1 dias em 2023.

No gráfico abaixo, dos pacientes que receberam nutrição parenteral no Risoleta em 2023, podemos observar que o tempo de jejum acima de 7 dias está relacionado com maior gravidade e também com maior mortalidade.

Grafico01_JunhoVerde

Podemos avançar mais!

Apesar dos avanços, o desafio ainda é grande na identificação e no acompanhamento dos pacientes desnutridos, especialmente por:

  • jejum prolongado antes de cirurgias, procedimentos e exames;
  • baixa ingestão ou adesão da dieta hospitalar;
  • frequentes interrupções não justificadas da nutrição enteral;
  • retirada precoce da via alimentar alternativa como a sonda nasoenteral.

Atuar nesses pontos críticos é essencial para garantir as necessidades nutricionais dos pacientes. Para alcançar resultados cada vez melhores, a EMTN segue os 11 passos preconizados pela BRASPEN:

letras_desnutricao (5)

Determine o risco e realize a avaliação nutricional.

letras_desnutricao (2)

Estabeleça as necessidades calóricas e proteicas.

letras_desnutricao (4)

Saiba a perda de peso e acompanhe o peso a cada 7 dias.

letras_desnutricao (3)

Não negligencie o jejum.

letras_desnutricao (11)

Utilize métodos para avaliar e acompanhar a adequação nutricional ingerida X estimada.

letras_desnutricao (1)

Tente avaliar a massa e a função muscular.

letras_desnutricao (10)

Reabilite e mobilize precocemente.

letras_desnutricao (9)

Implemente pelo menos dois indicadores de qualidade.

letras_desnutricao (8)

Continuidade no cuidado intra-hospitalar e registro dos dados em prontuário.

letras_desnutricao (7)

Acolha e engaje o paciente e/ou familiares no tratamento.

letras_desnutricao (6)

Oriente a alta hospitalar.

Membros da EMTN do Risoleta

Deixe um comentário